quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Balanços*

*Publicado no Jornal do Centro há exactamente dez anos, em 4 de Janeiro de 2008

1. Acabo de folhear todas as edições do Jornal do Centro de 2007. Confesso que me demorei mais nas minhas 26 crónicas. O meu balanço é claro: o Olho de Gato podia e devia ter tido mais unhas. O Jornal do Centro também.

Fotografia Olho de Gato
2. É importante olhar-se com mais atenção para as Assembleias Municipais que, com a nova lei das autarquias, vão ter um papel muito mais importante nos governos municipais. Infelizmente, a primeira metade do mandato da actual Assembleia Municipal de Viseu foi muito murcha.

O PSD não se renova. Ora fala Mota Faria e, depois, António Vicente, ora fala António Vicente e, depois, Mota Faria; ouvem-se uns Presidentes de Junta avulsos; é um coro grego em culto à personalidade de Fernando Ruas; para mal de Viseu, as palavras do Presidente da Câmara já não conseguem o impacto nacional que tinham antes do episódio das pedradas.

No PS pontifica o economês de João Cruz que recita o mesmo discurso insulso há mais de dez anos. Correia de Campos, metodicamente, mistura os papéis de ministro e de deputado municipal. Primeiro anulou a construção, já concursada, de um Centro de Saúde magnífico, junto ao Continente; agora fala nuns contentores para servirem de Unidades de Saúde Familiar.

O Bloco de Esquerda é incapaz de dizer algo que se oiça cá fora, é incapaz de uma ruptura: nem sequer foi capaz de quebrar a unanimidade nas Moções patéticas sobre a defunta Universidade de Viseu.

Da acção do CDS na Assembleia Municipal também não chegam ecos à imprensa.

3. Como se sabe, quando fraqueja a política, medram os interesses.

Portugal precisa de alma. Viseu ainda mais.

Um bom 2008.

Sem comentários:

Enviar um comentário